Barriga sarada

História da Lipoaspiração

Apesar de relatos de pessoas que removeram mais de 20 kilos de gordura, o principal foco da lipo não é promover a perda de peso, mas sim aprimorar o contorno da área tratada. O procedimento pode ser realizado sob anestesia geral ou local e a segurança não está relacionada somente a quantidade de tecido removido, mas a escolha do anestésico e da saúde geral do paciente. O ideal é que a saúde do paciente esteja 100% antes do tratamento.

História da Lipoaspiração

Os médicos Giorgio e Arpad Fischer, dois cirurgiões ítalo-americanos que trabalhavam em Roma, Itália, inventaram a lipoaspiração, em 1974. As raízes da lipoaspiração, porém, remontam à década de 1920. Algumas técnicas relativamente modernas de escultura da gordura corporal foram realizadas pela primeira vez pelo cirurgião francês Charles Dujarier. Embora tenha sido um caso trágico (que resultou em gangrena na perna de um modelo francês em um procedimento realizado pelo Dr. Dujarier em 1926), esse foi apenas o início do que chamamos hoje de lipoaspiração.

A lipoaspiração evoluiu no final dos anos 60 por cirurgiões Europeus e foi lançada nos Estados Unidos a partir de então. Entretanto, naquela época os métodos utilizados ainda eram irregulares e o procedimento ainda contava com uma alta taxa de mortalidade. A partir de 1982 esse procedimento se tornou mais popular, após a apresentação do “método Illouz”, cuja técnica consistia na quebra da gordura por uma injeção de fluídos, seguida da sucção da gordura devidamente quebrada.

lipo

Em 1985, Klein e Lillis descreveram a técnica “tumescente”, que consiste no uso de um volume maior de líquido com anestésico na área a ser tratada – essa alteração permitiu que a lipoaspiração se tornasse um procedimento mais simples – dependendo do caso, é possível operar o paciente em um ambienta não ambulatorial, apenas com sedativos, sem a necessidade de anestesia geral.

No final de 1990, o ultra-som passou a ser utilizado para facilitar a remoção de gordura. Nesse processo, a energia do ultrasom é utilizada para liquefazer a gordura.

Em geral, os mais de 30 anos de evolução das técnicas utilizadas na lipoaspiração tornaram esse processo muito mais simples, com uma menor perda de sangue, menos desconforto para os pacientes e, mais importante, menos riscos de vida. Pesquisas recentes apontam que é possível diminuir também o tempo de recuperação (que, atualmente, leva de 1 mês até 6 meses).

E você, o que achou?