Sorriso perfeito

Implantes Dentários – Tudo Sobre o Tratamento

Sem algum tipo de evolução no conhecimento “dental” durante a década de 1980 não poderiam ser oferecidos aos pacientes que precisam da substituição de dentes essa possibilidade. Na Suécia, os estudos sobre os implantes dentários começaram em 1970, e há 20 anos foi apresentado à comunidade de dentistas americananos, causando um aumento no uso de implantes para substituição de dentes. Uma das particularidades do tratamento, hoje em dia, é o uso do titânio para criar pinos metálicos ou parafusos, os quais tem a função de substituir a raiz dos dentes.

sorrisoA coroa em um dente natural se projeta acima da linha da gengiva, enquanto a raiz está ancorado no osso por ligamentos. O que os torna diferentes, considerando-se um dente e um implante, é a maneira como eles estão conectados ao maxilar. A partir da superfície radicular, há um grande número de pequenos ligamentos salientes que ancoram a raiz ao osso. Isso cria um sistema de amortecedor de choques, permitindo que o dente se mover um pouco e ser suavizado com a função normal ou pesada. Não há contato direto entre o implante e o osso.

O procedimento envolveu com a colocação de um implante dentário começa com alguns trabalhos de perfuração para criar um estreito buraco em forma de cilindro dentro do osso maxilar e, em seguida, o implante é parafusado no lugar. Demora 2 a 4 meses para a superfície do metal que se funde com o osso circundante após o que a prótese definitiva ou restauração podem ser anexados. As tecnologias e materiais utilizados nesse tratamento são muito similares aos utilizados em cirurgias ortopédicas.

Você pode recorrer a implantes dentários para substituir dentes perdidos, vários dentes perdidos, e até mesmo um arco inteiro de dentes ausentes. Esse procedimento não afeta os dentes “bons”, ou seja, aqueles que estão livres de cáries ou já possuem algum tipo de restauração.

Os implantes possuem três partes distintas: O implante para substituir a raiz, a coroa (geralmente feita de uma liga metálica recoberta com cerâmica, para substituir a coroa natural), e uma peça de interligação, conhecido como o pilar. Em várias ocasiões, próteses parciais ou totais, que são removíveis não satisfazem alguns pacientes e por isso não são fixos em implantes dentários. Muitas vezes os implantes são utilizados para servir de apoio para próteses parciais removíveis, tornando-as mais sólidas e funcionais.

Entretanto, assim como qualquer procedimento intrusivo, ele deve ser feito somente se o quadro do paciente obedece a uma série de requisitos. Nesse caso, a largura e a altura da mandíbula devem ser adequadas o suficiente. A idade do paciente também é um fator considerado, além da localização e tamanho de algumas estruturas anatômias da boca.

Vale lembrar que, antes de optar por esse tratamento, é necessário que o paciente passe por uma série de exames e um preparo psicológico, pois o tratamento não é realizado em apenas uma seção e são necessários alguns meses para se chegar ao resultado final.

E você, o que achou?